Você sabe o que é economia circular e consumo consciente? E como se aplica no mundo da costura?

Basicamente, a economia circular é um conceito que leva ao consumo consciente e tem crescido muito nos últimos tempos. Na contramão do progresso econômico baseado na extração, transformação e descarte, a economia circular tem como objetivo reaproveitar e dar uma vida muito mais longa para os produtos. Um bom exemplo de economia circular são os brechós.

Os brechós tem crescido em número e em qualidade ao redor do mundo e isso reflete uma convergência global para o consumo consciente. Uma roupa que não lhe agrada mais não precisa ser descartada ou deixada no esquecimento dentro do armário. E da mesma forma, roupas que já não tem mais serventia para alguém podem refazer o seu look com valores muito acessíveis e com a certeza de estar reaproveitando e evitando o desperdício.

Além dos brechós, a moda e a costura artesanal tem vários outros exemplos de economia circular. Vamos trazer aqui alguns exemplos:

Banco de tecido

O banco de tecidos trabalha com sobras de tecidos de atelier e de confecções. Eles vendem essas sobras por quilo e você pode comprar a quantidade que quiser. O legal é que não trabalham apenas com a venda de retalhos, o que já é bem interessante, você pode também levar seu próprios retalhos, pesar e ganhar créditos para comprar outros retalhos e renovar seu estoque.

Para conhecer acesse:

http://bancodetecido.com.br/

Coworking de costura 

Essa é uma opção muito inteligente e econômica. Há vários ateliês compartilhados de costura espalhados pelo Brasil e esse tipo de local permite que pessoas que atuam normalmente em outras áreas e profissões, possam ter um local para realizar suas costuras como hobby. Permite também que pessoas que queiram costurar de modo profissional mas não possuam espaço ou máquina possam dar início ao seu empreendimento sem investimentos elevados. Muitos desses lugares agregam profissionais como modelistas, advogados e outros que podem ajudar quem está querendo empreender. Além de sustentável e econômico, o coworking pode ser o lugar perfeito para interação com pessoas que compartilham a mesma paixão.

Conheça alguns lugares que selecionamos:

https://www.clubedacostura.com.br (GO)

http://labfashion.com.br (SP)

https://www.facebook.com/nuideias (MG)

https://www.facebook.com/dvestirecriar (SC)

Roupateca

Esta é  uma proposta muito interessante que nasceu na Europa e já está ganhando o Brasil. A Roupateca é um guarda-roupa compartilhado, isso mesmo, roupas de uso compartilhado. Diferente do aluguel de roupas e dos brechós, a roupateca é muito similar a uma biblioteca, onde há vários modelos disponíveis e você.

O funcionamento é bem simples, mediante a assinatura de um plano mensal você tem acesso a uma determinada quantidade de roupas para pegar durante o mês, os planos são bastante variados. Você fica com as peças escolhidas por até 15 dias.

Conheça o funcionamento e os planos disponíveis em:

http://aroupateca.com/

Upcycling

O upcycling traz um argumento forte baseado na sustentabilidade e no cuidado com o meio ambiente. A ideia básica do recycling é um novo significado para peças já em desuso, você pode usar suas próprias roupas ou buscar roupas usadas em brechós para modificá-los recosturando ou fazendo personalizações (customizações) na peça.

A parte mais interessante é que a sua criatividade é o limite no upcycling, com base no seu gosto e nas suas preferências, você vai criar uma roupa totalmente nova.

Veja esse exemplo aqui mesmo na Escola de Costurar:

Como transformar uma calça em vestido

Como transformar uma calça em vestido (Clique na imagem)

Transforme uma peça velha em uma nova

Transforme uma peça velha em uma nova (Clique na imagem)

A gente pode até pensar que é um assunto banal, mas discutir o futuro da roupa é um tema importante. O chamado fast fashion, onde as roupas são produzidas dentro de um padrão focado no consumo e descarte rápido, atropela nossa vontade de fazer diferente. A produção em grande escala e distribuída por grandes redes e magazines acaba sendo mais barata, crediários facilitados e mudanças rápidas nas prateleiras fazem com que o consumidor compre e descarte com mais rapidez.

Igualmente, costurar suas próprias roupas é um ato de consumo consciente, não traz uma circulação na economia da moda pronta, mas faz circular outros níveis da economia, como os aviamentos, tecidos, máquinas, acessórios e muitos outros.